Criadouro Onça Pintada

Nascidos no criadouro onça pintada

Semana passada algumas aves que nasceram aqui no criadouro onça pintada foram para o parque das aves em Foz do Iguaçu. Nascidos aqui no criadouro, jacutinga, inhambu guaçu e  sanhaço de fogo é o reflexo do excelente trabalho de toda equipe do criadouro.

IMG_8065

©2018 || MAIO #Criadouro_Onça_Pintada

Nossa querida Isis em sua pescaria

Ecovoluntária Rafael Bombardi de Freitas

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]

Ecovoluntária Rafael Bombardi de Freitas [Brasil]

 

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

 

Rafael, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

 

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

 

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

 

Abraços!

 

2018-01-12-PHOTO-00000416 2018-01-12-PHOTO-00000417

©2018 || MAIO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Mariana Bombardi da Silva

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]

Ecovoluntária Mariana Bombardi da Silva [Brasil]

 

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

 

Mariana, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

 

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

 

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

 

Abraços!

 

2018-01-12-PHOTO-00000413

©2018 || MAIO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Bruna Bombardi da Silva

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]

Ecovoluntária Bruna Bombardi da Silva  [Brasil]

 

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

 

Bruna, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

 

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

 

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

 

Abraços!

 

2018-01-12-PHOTO-00000414 2018-01-12-PHOTO-00000415

©2018 || MAIO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Sonia Maria Bombardi

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]

Ecovoluntária Sonia Maria Bombardi [Brasil]

 

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

 

Sonia, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

 

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

 

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

 

Abraços!

 

2018-01-12-PHOTO-00000409 2018-01-12-PHOTO-00000410

©2018 || MAIO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Cristina F. Wunderlich

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]

Ecovoluntária Cristina F. Wunderlich  [Brasil]

 

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

 

Cristina, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

 

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

 

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

 

Abraços!

2018-01-17-PHOTO-00000421

©2018 || MAIO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Andrea Wunderlich

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]

Ecovoluntária Andrea Wunderlich

 

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

 

Andrea, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

 

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

 

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

 

Abraços!

2018-01-17-PHOTO-00000420

©2018 || MAIO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Fernanda S. Monteiro

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]

Ecovoluntária Fernanda S. Monteiro  [Brasil]

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

Fernanda, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

Abraços!

2018-01-30-PHOTO-00000429 2018-01-30-PHOTO-00000431

©2018 || FEVEREIRO #Criadouro_Onça_Pintada

Onça brasileira vira esperança para o Pantanal argentino.

Segue o link da matéria publicada dia 05 de fevereiro de 2018 no jornal Estadão  e na Gazeta do Povo sobre a nossa querida ISIS e o projeto Iberá.

http://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,onca-brasileira-vira-esperanca-para-o-pantanal-argentino,70002178021

http://www.gazetadopovo.com.br/ideias/onca-paranaense-isis-e-esperanca-para-salvar-a-especie-da-extincao-no-pantanal-argentino-3wjl4c7kevboqluak9pmx4ear

 

“Onça brasileira vira esperança para o Pantanal argentino

Fêmea doada por um criadouro do Paraná protagoniza um ambicioso projeto para resgatar a espécie da extinção no país vizinho

Herton Escobar, O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2018 | 05h10

Isis é brasileira, tem 6 anos e nasceu em um criadouro particular no Paraná. Nahuel é sete anos mais velho, nascido no Uruguai, mas passou a maior parte da vida em um zoológico da Argentina. Ainda mal se conhecem pessoalmente, mas a esperança é de que sejam uma espécie de Adão e Eva das onças-pintadas no “Pantanal argentino”.

O primeiro encontro – nada fortuito – entre os dois felinos ocorreu há duas semanas sob o olhar atento de veterinários do Centro Experimental de Reprodução de Onças de Iberá, na província de Corrientes, nordeste da Argentina. Isis e Nahuel fazem parte de um grupo de cinco onças (dois machos e três fêmeas) selecionadas para um grande projeto de reintrodução da espécie nas planícies alagadas da região, conhecida como Esteros de Iberá. A paisagem é semelhante à do Pantanal brasileiro, com a diferença de que a fauna local foi quase que totalmente dizimada por caçadores e fazendeiros.

Passadas algumas décadas desde que a última “verdadeira fera” – ou yaguareté, nome guarani pelo qual as onças são chamadas na região – foi vista em Iberá, Isis é agora a protagonista de um ambicioso projeto da organização Conservation Land Trust (CLT) de restaurar toda a biodiversidade local.

Cinco espécies já foram reintroduzidas: tamanduá-bandeira, veado-campeiro, cateto, anta e arara-vermelha. Agora é a vez da onça-pintada reocupar o topo da cadeia alimentar. Como há muito poucas na Argentina, foi preciso pedir animais de outros países. Além de Isis, um macho foi trazido do Paraguai. O plano é reproduzir esses animais de cativeiro em um ambiente aberto, natural, para que seus filhotes aprendam a caçar como animais selvagens e possam ser soltos na natureza, para repovoar Iberá.

Filha de animais de zoológico, Isis nasceu no Criadouro Onça Pintada, um centro autorizado de criação e reprodução de fauna em Campina Grande do Sul, a 30 quilômetros de Curitiba. “A Isis é muito boazinha”, diz o médico Luciano Saboia, proprietário do centro e presidente da Associação de Pesquisa e Conservação da Vida Silvestre, organização civil pública responsável pelo criadouro. “Puxou o pai, porque a mãe é meio temperamental.”

A doação foi intermediada pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), com apoio do Ministério do Meio Ambiente. A lei não permite a doação de animais selvagens, capturados da natureza. Daí a opção por um animal nascido em cativeiro.

Escola. Isis chegou a Iberá em novembro. Vive agora em uma área natural cercada, de 1,2 mil metros quadrados, onde já recebe algumas presas vivas para caçar. Como sempre viveu em cativeiro, ela precisa aprender a caçar primeiro, para poder ensinar aos filhotes.

“Ela tem um instinto natural de caça, que vai sendo melhorado com a prática”, diz o biólogo Sebastián Di Martino, coordenador de projetos de reintrodução de espécies ameaçadas da CLT. Quando tiver filhotes, Isis será transferida para um cercado maior, de 15 mil metros quadrados (1,5 hectare), e a partir daí a caça será a única fonte de alimento para toda a família. O cardápio regional inclui jacarés, tatus, texugos, porcos selvagens (catetos) e capivaras.

Os animais serão soltos nos recintos para as onças caçarem naturalmente, sem interferência humana. “Os filhotes nunca vão ter contato com seres humanos”, explica Saboia, que acompanha de perto o projeto. “Serão onças nascidas em vida livre, teoricamente.”

O primeiro encontro entre Isis e Nahuel foi amigável, mas não houve cópula — o que é normal, segundo Di Martino.

Parque. A estratégia de conservação de Iberá inclui ainda a criação de um grande parque nacional, com 700 mil hectares. Ao mesmo tempo que trabalha na recuperação da biodiversidade local, a Conservation Land Trust está montando toda a infraestrutura necessária para a operação do parque. Ao final, tudo será doado ao governo argentino.”

©2018 || FEVEREIRO #Criadouro_Onça_Pintada

Isis, la yaguareté que ilusiona a Iberá.

Segue a matéria publicada no jornal la nacion hoje dia 22 de janeiro de 2018 sobre a nossa queria Isis e o projeto Iberá.

http://www.lanacion.com.ar/2091928-yaguarete-reintroduccion-ibera-isis-clt-tompkins

SAN CAYETANO, Corrientes.- Un grupo de veinte personas se mueve con sigilo en el Centro de Rescate de la fundación Conservation Land Trust (CLT) en San Cayetano, a unos 30 kilómetros de la ciudad de Corrientes. Allí, Isis, una yaguareté de seis años que vino de Brasil para sumarse al proyecto de reintroducción de este felino, acaba de terminar su cuarentena y está lista para viajar a la isla San Alonso y convertirse en la heroína que le dé el primer cachorro a los Esteros del Iberá donde la especie se extinguió hace 60 años.

“La primera vez que vi a Isis me pareció un animal muy interesante por su curiosidad. Ni bien salió de la jaula en la que llegó se puso a investigar todo el recinto y eso me mostró que iba a ser un ejemplar muy desafiante”, dice Alicia Delgado, bióloga responsable de la cuarentena y del Centro de Rescate de CLT.

“El yaguareté era el depredador tope de esta región y su ausencia se evidencia en desequilibrios en el ecosistema que no funciona como debería cuando le falta una de sus piezas fundamentales”, dice Sebastián Di Martino, biólogo, coordinador en CLT del Programa de Reintroducción de Especies Extinguidas en Iberá.

A las 5 de la mañana, el traslado de Isis a la isla San Alonso ya está en marcha. La Amarok gris que, en apoyo a la tarea de CLT, Volkswagen dio en comodato tendrá su pasajera más exclusiva: la felina nacida en cautiverio y proveniente del Criadouro Onça Pintada de Curitiva que pasará un tiempo en el Centro Experimental de Cría de Yaguareté (CECY) hasta cumplir su misión. Allí también se encuentran dos machos reproductores, Nahuel y Chiqui, y las hembras Tania y Tobuna, de 16 años, próxima a pasar a retiro. Estos cuatro yaguaretés son la ilusión de toda la comunidad que espera, como ellos dicen, que Corrientes vuelva a ser Corrientes; con el yaguareté, el oso hormiguero, el venado de las pampas, el tapir, el pecarí de collar y el guacamayo rojo, especies que ya están siendo reintroducidas.

Isis y una comitiva de más de veinte personas recorrieron 200 kilómetros por ruta. La Amarok donde viajaba la llevaba en la caja trasera, dentro de una jaula tapada con una tela para que no se estrese en el traslado desde el centro de rescate hasta el puerto de San Nicolás. Allí los esperaba una balsa para navegar las aguas brillantes, Iberá en guaraní, hasta su destino final, el CECY en San Alonso.

La potencia de la naturaleza amenazaba complicar los planes de los conservacionistas. Una tormenta eléctrica hacía su entrada triunfal en el momento justo en que la jaula era subida por un trailer a la balsa. Los rayos y el aguacero acompañaron a este jaguar y su comitiva durante las dos horas y media que duró el viaje. Al desembarcar en la isla, el traslado siguió en camión por cuatro kilómetros más hasta el destino final.

La escena más emotiva se vivió en el CECY. Una vez que la jaula de transporte ingresó al corral de manejo, la puerta se abrió. Fueron pocos segundos de suspenso hasta que, luego de un amague, el felino ingresó al corral. Un suspiro en cadena y muchos pares de ojos brillosos completaron la escena en la que la yaguareté aceptó y recorrió su nuevo hábitat. Delgado fue la primera en acercarse al corral. “Hola gorda, ¿qué pasa?”, le repetía mientras la acariciaba por detrás de la jaula. Isis parecía reconocerla y respondió pegándose a la reja del corral y por momentos poniéndose panza arriba.

“Isis se está aclimatando muy bien a su nuevo recinto. Se muestra muy activa y hasta entró en celo. Se revuelca, vocaliza y busca mucho el contacto con nosotros, este es un síntoma que también expresan las otras dos hembras del centro cuando están en celo”, explica Maite Ríos Noya, bióloga a cargo del CECY. Allí, la yaguareté pasó unos días hasta ser soltada en un predio de 1,5 héctareas que contempla los tres ecosistemas.

El parque Iberá reúne las condiciones para restaurar la población del yaguareté. Se estima que en el interior hay 600 mil héctareas donde podrían vivir sin contacto con áreas pobladas. Los jaguares que habitan el CECY nunca serán liberados porque su condición de nacidos en cautiverio hace que los humanos le representen un estímulo, a diferencia de los concebidos en libertad a los cuales las personas les resultan neutras en tanto no se les acerquen a ellos ni a su cría.

“A pesar de ser el tercer mayor felino del mundo, se trata de una especie con una amplia distribución histórica que se redujo por la acción humana. Hoy en Argentina se encuentran sólo tres poblaciones separadas geográficamente y se estima que quedan 200 ejemplares. Cada territorio que se pierde es una amenaza para la especie. Su desaparición sería una catástrofe y no me gustaría pensar en los yaguaretés como pensamos en los dinosaurios, especies extintas”, concluye Ríos Noya.

Isis “la diosa egipcia de la fertilidad” ahora quiere tener una versión propia en San Alonso. Se espera que sus crías sean los primeros yaguaretés libres que habiten el Iberá después de seis décadas.

2592077h10802592080h1080

©2018 || JANEIRO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Rafaela Caldas de Paula

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]

Ecovoluntária Rafaela Caldas de Paula  [Brasil]

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

Rafaela, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

Abraços!

IMG_3660 IMG_3662 IMG_3663

 

©2018 || JANEIRO #Criadouro_Onça_Pintada

Reintrodução da onça pintada – Isis, la otra esperanza del proyecto Iberá

Segue a matéria e o link publicado no jornal Economis da Argentina sobre a nossa querida Isis e o projeta Iberá.

20170716_110103

“Ha­ce po­co más de 20 dí­as Isis, una ejem­plar de ya­gua­re­té de seis años, fue tras­la­da­da des­de el Cria­dou­ro de On­ca Pin­ta­da ubi­ca­da en Cu­ri­ti­ba, Bra­sil, a la re­ser­va de San Ca­ye­ta­no.

DiarioÉpoca – La hem­bra se en­cuen­tra cum­plien­do su pe­rio­do de cua­ren­te­na en el es­ta­ble­ci­mien­to don­de es aten­di­da y mo­ni­to­re­a­da por pro­fe­sio­na­les de Pro­yec­to Ibe­rá.

Isis se en­cuen­tra en una ha­bi­ta­ción di­se­ña­da pa­ra que pa­se el pe­rio­do de cua­ren­te­na. Es un lu­gar am­bien­ta­do con al­gu­nos jue­gos de ma­de­ra, gran­des ven­ta­na­les y bien ai­re­a­do pa­ra que la ya­gua­re­té es­té có­mo­da. Co­mo no pue­de te­ner con­tac­to con la na­tu­ra­le­za en el pe­rio­do de cua­ren­te­na, los bió­lo­gos son los en­car­ga­dos de bus­car­le ac­ti­vi­da­des pa­ra que pa­se el tiem­po en la ha­bi­ta­ción.

Re­gu­lar­men­te se le re­a­li­zan es­tu­dios de ru­ti­nas pa­ra ir co­rro­bo­ran­do el es­ta­do de sa­lud de es­ta ejem­plar, que se­rá en po­co tiem­po par­te del con­jun­to de ya­gua­re­tés que se en­cuen­tran en la re­ser­va de la Es­tan­cia San Alon­so en el Ibe­rá.

Tras ha­cer­le los pri­me­ros che­que­os sa­ni­ta­rios, los pro­fe­sio­na­les ase­gu­ran que la hem­bra es­tá en per­fec­ta con­di­cio­nes de sa­lud. “Van dan­do ne­ga­ti­vo al­gu­nas po­si­bles en­fer­me­da­des”, se­ña­ló el ve­te­ri­na­rio de CLT, Gus­ta­vo So­lis.

Es­ti­man que a fin de mes la po­drán lle­var al Cen­tro Ex­pe­ri­men­tal de Cría de Ya­gua­re­té (CECY) en Es­tan­cia San Alon­so. Allí co­me­zará con un pe­rio­do de adap­ta­ción y mo­ni­to­reo por par­tes de los pro­fe­sio­na­les.

Una vez que con­si­de­ren que la ejem­plar de seis años es­té en con­di­cio­nes de so­cia­li­zar, pa­sa­rá a con­vi­vir con los otros ya­gua­re­tés.
Isis se­rá la quin­ta en arri­bar al Ibe­rá pa­ra unir­se al plan­tel de re­pro­duc­to­res que for­man par­te del Pro­gra­ma de Crí­a.

El nom­bre de es­ta hem­bra pro­ve­nien­te de Bra­sil ha­ce ho­no­res a la Dio­sa Egip­cia de la fer­ti­li­dad. Con la lle­ga­da de es­te ejem­plar se abren nue­vas es­pe­ran­zas pa­ra que, en po­co tiem­po, en sue­lo co­rren­ti­no naz­ca un ya­gua­re­té. Isis ya fue ma­má cuan­do es­tu­vo en Bra­sil y es­to su­ma ex­pec­ta­ti­va.

Des­de la lle­ga­da de To­bu­na y Na­huel, los es­pe­cia­lis­tas se es­pe­ran­zan con un na­ci­mien­to en el Ibe­rá. Es­te es el pro­yec­to más am­bi­cio­so que re­a­li­zan los es­pe­cia­lis­tas de Con­ser­ve­tion Land Trust en sue­los co­rren­ti­nos.”

 

http://www.economis.com.ar/isis-la-otra-esperanza-del-proyecto-ibera/

 

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

Abraços!

©2017 || DEZEMBRO #Criadouro_Onça_Pintada

REINTRODUÇÃO DA ONÇA PINTADA

A nossa bela e majestosa Isis já esta em sua nova morada.

©2017 || NOVEMBRO #Criadouro_Onça_Pintada

Cuidados com recém nascido!

Fêmea de veado vermelho ( Mazama bororo) com seu filhote recém nascido!

©2017 || NOVEMBRO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Maria Helena Signal

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]
Ecovoluntária Maria Helena Signal  [ Suécia ]

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

Maria, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

Abraços!

2017-10-26-PHOTO-00000325 2017-10-26-PHOTO-00000326 2017-10-26-PHOTO-00000327

 

©2017 || NOVEMBRO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Isadora Meira

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]
Ecovoluntária Isadora Meira [ Brasil ]

 

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

Isadora, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

Abraços!

IMG_1724 IMG_1725 IMG_1726 IMG_1727 IMG_1728

©2017 || NOVEMBRO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Tzu-Yu Ruo

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]
Ecovoluntária Tzu-Yu Ruo [ Taiwan ]

 

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

Tzu-Yu, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

Abraços!

IMG_1238 IMG_1237 IMG_1233

©2017 || NOVEMBRO #Criadouro_Onça_Pintada

Ecovoluntária Molly Burbridge

Plantio de Araucária [Araucaria angustifolia]
Ecovoluntária Molly Burbridge [ Inglaterra ]

 

O plantio de araucárias pelos Ecovoluntários que trabalharam no Criadouro Onça Pintada é um ato muito significativo, tanto pra nós quanto pra eles … Muitos nunca plantaram uma árvore e aqui tem a oportunidade de aprender e se sensibilizar para a preservação do planeta, tratar com cuidado uma muda e fazê-la brotar no chão.

Molly, MUITO OBRIGADO pelo trabalho, companhia e contribuição ao Criadouro Onça Pintada, esperamos novamente sua visita.

“…O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo… a terra não pertence ao homem; o homem pertence a terra… Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. É o final da vida e o início da sobrevivência.” (trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Norte-Americano, 1854).

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

Abraços!

IMG_3139 IMG_3143

©2017 || NOVEMBRO #Criadouro_Onça_Pintada

Reintrodução da Onça Pintada. Adaptação da Isis

A nossa querida Isis em seu novo recinto na Argentina vem se adaptando muito bem!

Projeto Iberá (http://www.proyectoibera.org)

Juntos pelo Planeta! Vamos nessa?

Abraços!

©2017 || OUTUBRO #Criadouro_Onça_Pintada

Contato

Enviar cópia dessa mensagem para seu endereço de e-mail.

Criadouro Onça Pintada

Associação de Pesquisa e Conservação da Vida Silvestre

+55 [41] 3029-8810

contato@criadourooncapintada.org.br

cristiane@criadourooncapintada.org.br

O Criadouro Onça Pintada é de origem conservacionista e não é aberto à visitação pública como nos zoológicos. A entrada de pessoas é permitida somente com o intuito de estudos e preservação. Mesmo assim são rigorosamente assistidas por profissionais especializados: para entrar em contato conosco e obter maiores informações, por favor, preencha o formulário ao lado, ou ligue para nosso telefone de contato em horário comercial.

Desenvolvimento:
vb2d + vis/dev